A RIC KOMECO RESPONDE

ECONOMIA

Não. E aqui eu vou te passar alguns pontos para que você avalie antes de decidir qual empresa irá executar o seu projeto.

Primeiramente, avalie a marca dos equipamentos que essa empresa está trabalhando. Pesquise a respeito destas marcas desde os fabricantes pra entender se existem ou não assistências técnicas aqui no país.

Um outro ponto é: avalie se irão utilizar todos os equipamentos da mesma marca, facilitando assim a sua assistência, caso você venha a precisar daqui alguns anos. Um outro ponto bastante importante é: vá no Reclame Aqui e veja o que os consumidores estão falando a respeito deste fabricante, bem como desta empresa que irá executar o seu projeto.

Você também pode ir lá no Google e nas redes sociais para tirar as suas próprias conclusões da percepção dos consumidores que já executaram com estes fabricantes ou com esta empresa.

Aqui vai outra dica: entre em contato com clientes que já executaram o seu projeto, preferencialmente, há mais de dois ou três anos com a empresa essa que você está cursando.

E eu também sugiro que questione essa empresa, qual foi o comportamento, como foi a posição dela em termos de solução, quando deu problema em determinado projeto.

Essas são apenas algumas dicas, mas você também tem que observar se essa empresa vai te oferecer uma garantia de geração, um seguro de risco de engenharia, qual é a potência que essa empresa está entregando e diversos outros aspectos.

Para você, rentabilizar de 25 a 30% ao ano o seu dinheiro, é lucro ou não?

Para mim, sim. Se para você também, então a resposta é com certeza.

Não! É uma realidade e veio para ficar.

Inclusive, existem centenas de milhares de brasileiros que decidiram gerar a sua própria energia nos últimos anos, fazendo com que o mercado triplique de tamanho ano a ano.

Não, você não consegue zerar a sua conta de luz.

O que conseguimos em muitos casos é, talvez, te gerar uma redução de até 95% do seu custo. Mas lembre-se, você sempre terá que pagar pelo menos o custo de disponibilidade, que varia de acordo com o seu perfil.

O famoso payback. Caso você decida por pagar este investimento à vista, ou seja, sem recursos de financiamento, é muito provável que você terá o seu retorno em aproximadamente três anos. Agora, caso você opte por fazer o pagamento de alguma outra forma, teremos que avaliar outras variáveis, como taxa de juros e etc.

Essa é uma dúvida recorrente que recebemos aqui. E a resposta é sim.

Primeiro, desde que você esteja na mesma concessionária. E segundo, que esta outra conta, seja no mesmo CPF ou no mesmo CNPJ.

Aqui a resposta é depende.

Precisamos entender o motivo pelo qual você tem esse propósito. Vamos supor que você decida gerar uma energia de sobra porque irá instalar mais aparelhos de ar condicionado, ou porque daqui a um ou dois anos vai comprar um sofá elétrico. Aí eu diria que sim. Faz sentido. Afinal de contas, você tem cinco anos para utilizar todo crédito gerado.

Ou seja, se você fizer qualquer aumento de consumo nesse período e tiver crédito, você poderá utiliza-lo.

Analisando os dados, entendo e acredito que temos um potencial absurdo, visto que atualmente apenas cerca de 11% da energia é produzida através de placas fotovoltaicas.

RIC monitora o serviço de gestão que irá te trazer tranquilidade e segurança caso você já gere a sua própria energia. Nesse serviço iremos fazer o monitoramento, a revisão, a manutenção e a limpeza das da sua zona fotovoltaica.

Você ficará 100% tranquilo que o seu sistema está funcionando da forma que deve funcionar, adequadamente, e você não precisa mais se preocupar com a data que tem que fazer uma revisão: seja reaperto de conector, seja a limpeza do seu inversor ou até mesmo das placas.

Com isso você deixa de ter prejuízo.

Tudo depende da cidade. Eu vou te dar um exemplo: se você estiver na cidade de Gravataí, aqui no Rio Grande do Sul, sim, você terá desconto no seu IPTU.

Agora, preciso saber qual cidade você está, aí sim eu consigo te dar certeza se você terá desconto ou não.

Sim. Inclusive, atualmente, existem dezenas de opções de agentes financeiros com esta linha de crédito para você gerar a sua própria energia.

E nós aqui da RIC Komeco temos um departamento exclusivo para te ajudar neste processo.

É uma regulamentação que veio trazer segurança jurídica para o setor, para todo aquele cliente e consumidor que decidir gerar a sua própria energia.

Não tem nada a ver com taxação do sol, que é muito  o que tem se falado por aí.

Na minha opinião, não. Porque o que é caro e barato é muito relativo.

Tudo depende do retorno.

Levando em consideração que, ao decidir em investir em energia solar, ou seja, gerar a sua própria energia, você terá um retorno financeiro de aproximadamente 2 a 2,5% ao mês. Isso mesmo, de 2 a 2,5% ao mês.

Eu estou falando de um investimento que pode te dar um retorno de até 30% ao ano do capital investido.

E o melhor, além disso, você ficará livre dos aumentos constantes na sua conta de luz, que em alguns casos, representam 18% ao ano. Então depende do que é caro para você. 

Sim. Quem não tem, também. Deixa eu te explicar aqui uma confusão que muitos consumidores estão fazendo. A nova lei 14.300 nada tem a ver com ICMS, se é esse o custo a qual você está se referindo.

Ou seja, a diferença é que se tu tens energia solar, você pagará o ICMS apenas sobre a energia que for injetada e utilizada na rede.

Agora, se não tem energia solar, você pagará ICMS de absolutamente tudo que você consumir da rede. Então é uma grande vantagem a energia solar. E isso aqui não tem nada a ver com a lei 14.300.

INSTALAÇÃO

Vamos supor que o seu projeto seja uma usina de solo com 1000 módulos. Você concorda comigo que o tempo será diferente para aquele consumidor que decidiu simplesmente instalar 10 ou 12 módulos em cima do seu telhado?

Por exemplo, esse cliente residencial de 10 a 20 módulos, eu posso dizer com tranquilidade que essa execução irá levar entre 1 a 3 dias. Agora, essa usina de solo, que talvez possa ser com mais de 1000 módulos, por exemplo, que depende. A gente tem que fazer uma adaptação no solo, locação de equipamentos, de maquinários.

Bom, essa eu preciso analisar mais detalhadamente as diversas variáveis que possuo.

A resposta é sim. Agora, você tem que ter muito cuidado com qual equipamento você irá comprar.

Eu vou te trazer um dado que talvez você não saiba: apesar da grande maioria dos módulos possuir garantia de até 25 anos de eficiência. Existem muitas fábricas na China que sequer duram mais do que cinco anos.

A cada dez fábricas de módulos que abrem da China, oito não passam de cinco anos.

Ou seja, tenha muito cuidado quando for decidir qual equipamento irá instalar, porque de nada adianta você ter uma garantia de 25 anos e quando precisar de assistência, não conseguir ter acesso.

Sim. Inclusive se você pesquisar na internet vai perceber que existem alguns vídeos: máquinas projetando granizo numa velocidade de 140km/h. E sim, as placas são resistentes.

Via de regra, se você escolher um equipamento de qualidade, e o projeto e a instalação forem bem executados, eu te digo que não.

Agora, o que você também tem que cuidar, é posterior a execução do seu projeto, não poderá deixar que qualquer pessoa venha a pisar, por exemplo, em cima dos módulos, porque isso sim pode vir a te apresentar problemas que irão causar pequenas ranhuras que vão se tornar rachaduras e com o tempo vai chover, entrar água no módulo e isso sim vai fazer com que o módulo esquente, ou quem sabe, talvez até cause algum dano elétrico. Então muita atenção posterior à execução do seu projeto.

A função do inversor é transformar a radiação solar que é captada pelas placas solares em energia elétrica.

Sim. Por vezes, algumas pessoas confundem, a geração da energia através das placas solares, com alguma questão dos equipamentos internos.

A sua instalação não irá mudar absolutamente nada, ou seja, você vai continuar consumindo exatamente como estava consumindo.

O que muda é que a partir do momento que você instala o seu projeto, você simplesmente passa a gerar créditos, para reduzir a sua conta de luz.

Depende o equipamento que você escolher. Já vimos de tudo por aí.

Agora, via de regra, é um equipamento que tende a durar de sete a oito anos sem nenhum problema.

Por isso, tenha muito cuidado na escolha do equipamento adequado.

Via de regra, não. Agora, você terá que ficar atento a alguns detalhes bastante importantes que são: primeiro, essa empresa está utilizando uma estrutura adequada?

Segundo, essa empresa tem conhecimento técnico para fazer a instalação de forma correta?

Terceiro, a execução foi seguida do manual do fabricante? Se tudo isso for feito de acordo, eu te digo não há qualquer risco.

Agora, a partir de um ano, você obviamente terá que ter uma empresa para fazer uma revisão e manutenção do seu sistema, porque com o tempo pode sim haver de algum clamp se soltar ou algo nesse sentido. E aí vai fazer uma revisão para que você fique 100% tranquilo. 

Talvez você nunca tenha escutado falar sobre isso. Agora, isso de fato, é bastante importante. Se você não tiver uma boa conexão, ou seja, o sinal não estiver adequado, próximo do inversor, você não irá conseguir acompanhar a sua geração.

Existe um equipamento no dispositivo que se chama Data Log, ele é o responsável por comunicar o que você está gerando instantaneamente. Agora, se por ventura você não tiver internet como tal, você continua gerando a sua própria energia, a única coisa é que você não vai saber o quanto está gerando, porque você não terá como acompanhar no seu aplicativo.

A resposta é: depende. Mas eu vou levar em consideração os módulos de 500watts, que atualmente são os mais utilizados. Um módulo como este, aqui na região (Rio Grande do Sul), irá gerar o equivalente a aproximadamente 50 quilowatt/hora por mês. Ou seja, estou te falando que apenas um módulo irá gerar 600 quilowatts no ano.

A gente sabe que existe uma diferença na radiação solar em cada período do ano, por isso nós falamos em ano, e na média, para fazer uma conta rápida, são 50 quilowatts por mês.

Aqui a resposta é: depende.

Precisamos entender o motivo pelo qual você tem esse propósito. Vamos supor que você decida gerar energia de sobra porque irá instalar mais aparelhos de ar condicionado, ou porque daqui um ou dois anos, vai comprar o seu carro elétrico.

Aí eu te diria que sim, faz sentido, afinal de contas, você tem cinco anos para utilizar do crédito gerado. Ou seja, se você fizer qualquer aumento de consumo nesse período e tiver crédito, você poderá utilizá-lo.

E agora com a mudança da Lei 14.300, fica ainda mais fácil.

Na verdade, o que faz um pouco de barulho é o aparelho inversor, aquele que transforma a radiação solar em energia elétrica.

Então, por isso, a orientação é que você escolha um local adequado, porque dependendo do ambiente, esse pequeno ruído pode vir a te incomodar.

A resposta é: depende de alguns fatores. E eles são: primeiro, na época, quando você planejou esse projeto, colocou um inversor de maior potência que permitisse adicionar mais placas.

O outro questionamento é: você continua com espaço disponível adequado, sem sombra, que irá gerar energia? Se a resposta for sim para esses dois fatores, eu te digo é possível.

Nossos Canais

51 4042.4331

51 99199.5884

[email protected]

2023 RIC Komeco © Todos os direitos reservados

Posso ajudar?